quinta-feira, 19 de abril de 2012

Canários Intensos Homozigotos e Heterozigotos


 Intensos  Homozigotos e Heterozigotos

Álvaro Blasina
Boletim OBJO 53/1993
Arquivo editado em 21 Abr. 2001 pelo Criadouro kakapo

O fator INTENSO é uma mutação autossômica dominante, que tem como característica principal, a maior presença do lipocromo em todo o conjunto de plumagem. Os exemplares mais valorizados são aqueles que permitem o depósito de lipocromo até as extremidades das penas, impedindo a formação de “schimell”.
Muitas coisas já foram ditas e escritas com referência a esta mutação, sua transmissão genética e sua expressão na plumagem dos canários. Em primeiro lugar, e com referência à  sua hereditariedade, ainda é universalmente aceito que este fator em dose dupla é letal. Hoje (depois de várias experiências) temos total certeza que esta afirmação não corresponde a realidade. Já conhecemos inúmeros casos de acasalamentos de canários intensos que deram alguns filhos com características próprias bem definidas e que acasalados com canários nevados deram ao longo da sua vida dezenas de filhos todos intensos. Esta constatação foi feita tanto com exemplares machos quanto com fêmeas.
Existem alguns autores que classificam o fator DUPLO INTENSO como sub-letal, considerando que os canários intensos homozigotos, apresentam (em alguns casos) menor rusticidade, principalmente em lugares de clima frio. Mesmo assim, temos experiências de vários exemplares homozigotos para o fator intenso que criaram com excelente desempenho durante vários anos.
Como se todas estas vivências não fossem suficientes, descobrimos também que os canários intensos homozigotos, apresentam uma característica fenotípica própria e infalível que os diferencia nitidamente dos canários heterozigotos. Quando um canário intenso é heterozigoto (portador de nevado ou mosaico), o extremo das suas penas longas (asas e cauda) apresenta invariavelmente, as bordas brancas, por melhor que este exemplar seja. Também as penas da região cloacal apresentam leves traços de “schimell”. Quando o pássaro é um intenso homozigoto, podemos verificar que a presença do lipocromo ocorre literalmente até a extremidade, das penas (inclusive as longas e as da região da cloaca). A diferença acima descrita entre os intensos homozigotos e os heterozigotos é absolutamente nítida e uma vez que observamos uns e outros, nunca mais nos deixam dúvidas a respeito.
Considerando que a preferência na hora do julgamento á dada aos exemplares que não tem “schimell”, pareceria ideal apresentar nos concursos sempre canários intensos homozigotos. Na prática isto não é tão evidente, pois os canários intensos homozigotos tem outras características que representam desvantajosas para os efeitos de concursos. A estrutura da pena é menor e por este motivo, eles manifestam problemas de forma e plumagem que devem ser muito bem avaliados, na hora de pensarmos em fazer um casal de canários intensos. Geralmente para contra restar o problema da pena, acasalamos somente canários que embora intensos, apresentam plumagem abundante e muito boa forma. Neste caso, vale a pena fazer a tentativa e você amigo criador poderá assim, tirar as suas próprias conclusões.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o contato, seus comentários são sempre bem vindos!

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails